quinta-feira, 11 de junho de 2009

A Violência Contra a Mulher...



Estou de volta com um tema que já se tornou caso de polícia no Brasil, que é a VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER. Não tenho a menor pretensão de analisar esse ABSURDO, que vivenciamos e encontramos nas páginas de jornais, nos noticiários da TV, na internet e várias outras formas de comunicação. Não quero de forma nenhuma valorizar ou destacar aqui os covardes que se chamam homens e que agridem as pessoas que os ama.
Eu pretendo falar de outra agressão, que é mil vezes pior do que essa citada acima. Maior do que o descontrole dos homens contra suas parceiras e companheiras.
Vocês devem estar perguntando que AGRESSÃO é essa, ainda existe coisa pior do que sentir dor, ser machucada, ser agredida e as vezes até morta por quem se ama? E eu vou dizer que SIM.
A pior agressão que uma mulher poder ser vítima é a agressão contra si mesma. É agressão da falta de amor por si mesma, da baixa estima, que permite se tornar vítima de agressões diárias e aceita, que não se respeita como ser humano, como mulher, como esposa, amante, ou qualquer outro título que possamos dar.
A maior agressão contra uma mulher é aquela que a faz deixar de viver, de acreditar em si mesma, de criar, de ousar, de mostrar que esta viva, que o sofrimento a dor, o abandono, não a distruiu apenas mostrou que estava com a pessoa errada e que pode ser uma forma de acordar, de se transformar e de ser feliz.
A quantidade de amigas, de mulheres maravilhosas com quem tenho o prazer de conversar depois que criei o blog é grande, e me deixa feliz e cheio de experiências e vivências do muito da vida dessas mulheres. Tem histórias que eu demoro a acreditar por serem inacreditáveis mais reais.
MAs a agressividade que essas mulheres fazem contra si não tem limites. Deixam de viver literamente para vivenciar uma dor eterna, que não leva a lugar nenhuma que as deixa paradas no tempo e no espaço.
A agressão física pode ser evitada de forma imediata, mesmo que algumas não aja assim. Preferem muitas vezes continuar apanhando, sendo agredidas a ficarem sozinhas. Não sabem elas que podem encontrar outro parceiro melhor, e que a vida é aquilo que queremos que ela seja. Se acomodoram e se acostumaram no sofrimento e vão viver assim eternamente.
Não conseguem usar a sua força MAIOR: SER MULHER...
Se mostrar bela pra ela mesma, se mostrar capaz de mudar tuda que é ruim, se mostrar fêmea, acreditar no prazer de se dar e de ser amada como é. "Sem precisar perder a ternura jamais..." Esquecem a força que possuem e se tornam vitimas da sua própria convardia. E condenam todos os homens por uma unica decepção. Generalizam e transformam o homem em reu, em culpado, por sua falta de vontade de ser feliz, porque é mais facil culpar alguém do que assumir o seu próprio destino.
É verdade que encontrar um homem que possa ser chamado de LORD, de CAVALHEIRO, de AMANTE A MODA ANTIGA, esta difícil. A busca por sucesso profissional na maioria das pessoas sejam homem ou mulheres vem deixando de lado a SENSIBILIDADE, a TERNURA, o CARINHO de olhar para o outro. E encontrar um parceiro que vale a pena esta cada dia mais dificil.
Muitas dessas mulheres reclamam que seus maridos deixaram de observá-las. Cortam o cabelo, mudam de penteado, de roupa, uma delas chegou a colocar silicone deixou os seios maiores e o marido não percebeu.
Essa agressão do pouco caso, da falta de atenção, da mesmice, da rotina pode e deve doer mais, porque é invisivel é uma dor silenciosa que o outro não percebe, que ninguém percebe. Essa agressão se torna MAIOR mais contudente, quando eu não faço nada para mudar.
Largar um casamento, sair de uma relação sem graça, sem sabor, sem tempero, separar os bens, é bem difícil quando não se tem a vontade de dar sentido a vida, de viver o amor intensamente não necessariamente homem mulher, mas o amor em todas as suas formas e cores.
Se acomodam e algumas quando se tocam o tempo já passou demais e nem lembranças boas tem prá lembrar.
A maior agressão que uma mulher poder cometer é a de perder a vontade de viver, de acreditar que pode ser feliz, independente do que já viveu.
A pior violência é a auto violência que me impede de mostrar que posso tudo quando quero verdadeiramente.
O ser humano tem o dom de poder ser o que quiser ser e quando quiser ser. Mas, as vezes é preciso se encontrar consigo mesmo, se amar, se achar merecedor da felicidade e lutar por ela de todas as formas.
A pior violência que podemos cometer e ter medo de tentar de mudar de acreditar de ser feliz.
Não deixem nunca que a dor e o sofrimento sejam maiores que o sonho de ser feliz.


Desejo um dia mágico sempre e se voces não tem com que sair, saiam com voces mesmas, vão comer uma pizza, ao cinema, a praia, dançar, porque queira ou não, gostem ou não do jeito que voce é, voce vai ter que se aturar pelo resto da vida.
Beijos no coração. Amo voces
Existe um ditado que diz: Só fazem com voce aquilo que voce permite...

5 comentários:

Arlete disse...

Olá, Anselmo!!!
Parabéns pela matéria com um assunto que, infelizmente, é tão atual.Fala-se muito da agressão física e dá-se pouca importância à violência emocional sofrida por muitas mulheres.
Não é facil resgatar a auto estima prejudicada por rejeições, angústias, educação rígida e outras dificuldades.
Muitas vezes é preciso procurar ajuda de um proficional, para deixar de ser uma mulher deficiente, que não consegue modificar sua vida,aceitando as imposições de seu parceiro ou da sociedade em que vive. Não tem conciência de que é dona do seu destino e que os sofrimentos que teve só devem servir para amadurecer e não para destruir.
Que este texto ajude mais mulheres a falarem o que sentem,sem esconder-se atráz da máscara da hipocrisia, se dando a chance e o direito de ser feliz, deixando o amor nascer, crescer e florescer nas suas vidas.
Um beijo,
Arlete.

Maria Souza disse...

Estou o conhecendo agora, Jornalista Anselmo e me deparo com um farto material dedicado quase que exclusivamente à mulher.

Sim, porque, nesse belo espaço, os sentimentos das ditas "frágeis" estão expressos em diversos textos.

Muito se poderá ponderar, refletir, com base nessas postagens.

Particularmente, quanto a violência, diria que não é tão simplista assim, me permita dizer.
O fator cultural, financeiro, na maioria das vezes, impossibilita, retranca a vítima.

Fomos criadas para termos quem nos guie e não sabemos, ainda, lidar com essa modernidade que expõe as mulheres as mais ricas atitudes de independência feminina.

Talvez essa seja a principal causa de termos essas mulheres condicionadas aos mais crueis vínculos de violência.

A força de vontade de romper-se esses submundos, está aquém e muito do amar-se e buscar a libertação, isto sob minha ótica, obviamente.

Para não deixar sem um final essas observações, concluiria que é preciso que parentes, amigos, filhos sejam a "bengala" para que essa mulher possa, finalmente, acreditar que exista uma vida melhor do que sua atual.

Um beijo,

Maria Souza - Porto Alegre - RS
http://maturidadedivagando.blogspot.com/

Invenções infinitas!. disse...

oi! Parabens p/lo seu lindo blog! abrços salete

Cristiane disse...

adorei suas materias expressam muito bem a alma feminina, num mundo tao conturbado emcontrar um homem com tamanha sensibilidade fiquei encantada vc ganhou mas uma leitora.xero cristiane (cristiane_paulalucena@hotmail.com)

Germana disse...

Caro Anselmo, belo blog com temas pertinentes a todas as mulheres e alguns homens (sábios). Gostei! Parabéns!
Quanto ao tema 'A Violência Contra a Mulher', só posso concordar que tanto a agressão física quanto a manipulação psicológica, causam grandes traumas. Lamentável! E minha contribuição para sua matéria, será um poema, escrito por mim, em homenagem a todas as mulheres que superam toda e qualquer agressão e dão a volta por cima, se redescobrindo mulher (plena e bela). Espero que goste! Agradecida pela oportunidade de participar da discussão.

Falando de Mim

O melhor de mim
não está nos poemas
que derramo pela vida
nem nas notas das minhas canções.
O melhor de mim
não está no meu sorriso
e nem no meu pranto
e nem no brilho do meu olhar.
O melhor de mim,
estou (re) aprendendo agora,
é essa imensa capacidade
de ser uma e ser duas,
de dar nuvens e dar chão,
de dar estrelas e dar pão.
O melhor de mim,
( abriu-se este clarão )
é ter a coragem
de buscar no meu peito,
mesmo dolorido, a alegria
de me reencontrar
comigo mesma
e gostar do que vejo.
O melhor de mim
é ter a certeza
de que o melhor de mim
sou eu mesma.

Germana Borges